top of page

Coaching, Psicologia Positiva e Método Cognitivo

Atualizado: 22 de fev. de 2019


Por EDSON LIMA

Entenda o papel do coach no processo de autoconhecimento, autogestão e aprendizagem transformacional do coachee e a relação do Coaching com a Psicologia Positiva e o Método Cognitivo Comportamental. 


Coaching

Coaching pode ser definido como processo de autoconhecimento, 

autogestão e aprendizagem transformacional assistido. É o “passo a passo” ou “plano de voo” para alcançar o equilíbrio consigo mesmo e com o meio, utilizando ferramentas e recursos de diversas ciências como psicologia, sociologia, neurociências, administração, gestão de pessoas e planejamento estratégico. O coach encoraja e apoia seu cliente (coachee) a direcionar suas energias e habilidades para a “autodescoberta de sua personalidade e padrões comportamentais, gerenciamento das emoções, estabelecimento de objetivos e metas, análise de obstáculos e resolução de problemas”, segundo Luciana Viana, coach e psicóloga.

Por se tratar de vidas envolvidas, o coach não deve interferir ou sugerir o que o cliente deve fazer. Fazendo uma analogia, imagine uma carruagem seguindo seu longo caminho numa estrada de pedras, onde o COACH é o condutor (ou tutor), a carruagem simboliza os MEIOS (ferramentas e técnicas do coaching), a estrada é o MUNDO REAL, o destino são os OBJETIVOS, o passageiro é o COACHEE (cliente), os trajetos são as DIMENSÕES HUMANAS (família, lazer, espiritualidade, equilíbrio emocional, vida social e profi ssional, saúde, desenvolvimento intelectual) e a bagagem são as CRENÇAS, VALORES, MODELOS MENTAIS, EXPERIÊNCIA DE VIDA, CONHECIMENTO, HABILIDADES e COMPETÊNCIAS do coachee.

O coach precisa entender de psicologia humana para compreender o comportamento de seus coachees (clientes) e entender o que os motiva, quais são suas barreiras e como trabalhar em cima disso. Psicologia é uma ciência que estuda o comportamento humano e seus processos mentais. Podemos afirmar que “a psicologia estuda as emoções, as experiências humanas com o mundo ao seu redor, suas introspecções, processos de aprendizagem, intelecto e, é claro, a percepção do ser humano”.


Psicologia Positiva

Outra base do coaching é a Psicologia Positiva, um movimento mais recente da psicologia que surgiu nos anos 90 com a proposta de estudar as emoções positivas (felicidade, prazer), traços positivos do caráter (sabedoria, criatividade, coragem, cidadania), relacionamentos positivos (amizade, confiança, vínculos afetivos saudáveis) e as instituições positivas (escolas, empresas e comunidades). Sua principal diferença da psicologia tradicional, que trata dos distúrbios mentais (depressão, ansiedade, fobias, traumas), está em sua abordagem que potencializa as qualidades e as forças positivas da pessoa. A Psicologia Positiva “estimula o foco nas emoções, qualidades e comportamentos positivos, trazendo maior assertividade, controle emocional e foco” e suas disciplinas “promovem ainda a desconstrução de barreiras mentais, o aumento das perspectivas e da positividade, além de promover o autoconhecimento”. Método Cognitivo Comportamental

Segundo Luciana Viana, coach e psicóloga já mencionada, o “Método Cognitivo Comportamental é muito importante no processo de coaching pois, muitas vezes, o profissional se depara com uma série de erros cognitivos e crenças limitantes que travam a vida do cliente. O trabalho do coach é ampliar a visão das pessoas e apresentar possibilidades de novos caminhos, de novos modos de pensar, ser e agir. Graças à psicologia e à terapia cognitiva comportamental, existe o Método Cognitivo Comportamental, em cuja terapia ou processo de coaching estimula as pessoas a identificar e avaliar seus pensamentos automáticos negativos sobre as situações e, desta forma, verificar e corrigir possíveis pensamentos distorcidos que ele constrói devido a esta avaliação imediata, que estejam alterando o se